Arquivos do Blog

.:: Baby Daddy ::..

Baby Daddy segue a linha de Raising Hopee  acompanha  a história de Ben, um jovem que descobre ser pai de uma menina quando sua ex-namorada abandona o bebê em sua porta. Com a ajuda de sua mãe , do irmão Danny e de seus melhores amigos  Tucker  e Riley, ele decide criar sua filha.

Fotos Promocionais

Clique nas Imagens para Ampliar







Anúncios

.:: Jane by Design ::..

A série é uma adaptação do livro autobiográfico da comediante Chelsea Handler publicado em 2008, tornando-se um bestseller com quase 2 milhões de cópias vendidas. A obra apresenta ao leitor diferentes épocas da vida da autora, que relata algumas experiências específicas pelas quais passou.

Na história, Jane Quimby (Erica Dasher) é uma adolescente que consegue ser contratada por uma empresa do ramo da moda, graças a uma confusão com os currículos.

Acreditando que Jane é maior de idade, a empresa lhe oferece o cargo de assistente de Gray Chandler Murray (Andie MacDowell) uma importante executiva com fama de difícil.

Fotos Promocionais

Clique nas Imagens para Ampliar










..:: Vencedores do Emmy 2011 ::..

Confira a lista dos principais vencedores

Melhor série de comédia:

“Modern Family”

“The Big Bang Theory”

“Glee”

“The Office”

“Parks and Recreation”

“30 Rock”

 

Melhor série dramática:

“Mad Men”

“Boardwalk Empire”

“Dexter”

“Friday Night Lights”

“Game of Thrones”

“The Good Wife”

 

Melhor ator de comédia:

Jim Parsons por “The Big Bang Theory”

Alec Baldwin por “30 Rock”

Steve Carell por “The Office”

Johnny Galecki por “The Big Bang Theory”

Matt LeBlanc por “Episodes”

Louis C.K. por “Louie”

 

Melhor atriz de comédia:

Melissa McCarthy por “Mike & Molly”

Edie Falco por “Nurse Jackie”

Tina Fey por “30 Rock”

Laura Linney por “The Big C”

Martha Plimpton por “Raising Hope”

Amy Poehler por “Parks and Recreation”

 

Melhor ator em série dramática:

 Kyle Chandler por “Friday Night Lights”

Steve Buscemi por “Boardwalk Empire”

Michael C. Hall por “Dexter”

Jon Hamm por “Mad Men”

Hugh Laurie por “House”

Timothy Olyphant por “Justified”

 

Melhor atriz em série dramática:

Julianna Margulies por “The Good Wife”

Kathy Bates por “Harry’s Law”

Connie Britton por “Friday Night Lights”

Mireille Enos por “The Killing”

Mariska Hargitay por “Law & Order: Special Victims Unit”

Elisabeth Moss por “Mad Men”

 

Melhor ator coadjuvante em comédia:

Ty Burrell por “Modern Family”

Chris Colfer por “Glee”

Jon Cryer por “Two and a Half Men”

Jesse Tyler Ferguson por “Modern Family”

Ed O’Neill por “Modern Family”

Eric Stonestreet por “Modern Family”

 

Melhor atriz coadjuvante em série de comédia:

Julie Bowen por “Modern Family”

Jane Krakowski por “30 Rock”

Jane Lynch por “Glee”

Sofía Vergara por “Modern Family”

Kristen Wiig por “Saturday Night Live”

Betty White por “Hot in Cleveland”

 

Melhor ator coadjuvante em série dramática:

Peter Dinklage por “Game of Thrones”

Andre Braugher por “Men of a Certain Age”

Josh Charles por “The Good Wife”

Alan Cumming por “The Good Wife”

Walton Goggins por “Justified”

John Slattery por “Mad Men”

 

Melhor atriz coadjuvante em série dramática:

Margo Martindale por “Justified”

Christine Baranski por “The Good Wife”

Michelle Forbes por “The Killing”

Christina Hendricks por “Mad Men”

Kelly Macdonald por “Boardwalk Empire”

Archie Panjabi por “The Good Wife”

 

Minissérie ou filme para televisão:

“Downton Abbey”

“Cinema Verite”

“The Kennedys”

“Mildred Pierce”

“The Pillars of the Earth”

“Too Big to Fail”

 

Melhor ator em minissérie ou filme para TV:

Barry Pepper por “The Kennedys”

Idris Elba por “Luther”

Laurence Fishburne por Thurgood

William Hurt por Too Big to Fail

Greg Kinnear por “The Kennedys”

Édgar Ramírez por “Carlos”

 

Melhor atriz em minissérie ou filme para TV:

Kate Winslet por “Mildred Pierce”

Taraji P. Henson por “Taken from Me: The Tiffany Rubin Story”

Diane Lane por “Cinema Verite”

Jean Marsh por “Upstairs Downstairs”

Elizabeth McGovern por “Downton Abbey”

 

Melhor ator coadjuvante em minissérie ou filme para TV:

Guy Pearce por “Mildred Pierce”

Paul Giamatti por “Too Big to Fail”

Brían F. O’Byrne por “Mildred Pierce”

Tom Wilkinson por “The Kennedys”

James Woods por “Too Big to Fail”

 

Melhor atriz coadjuvante em minissérie ou filme para TV:

Maggie Smith por “Downton Abbey”

Eileen Atkins por “Upstairs Downstairs”

Melissa Leo por “Mildred Pierce”

Mare Winningham por “Mildred Pierce”

Evan Rachel Wood por “Mildred Pierce”

 

Melhor reality show de competição:

“The Amazing Race”

“American Idol”

“Dancing with the Stars”

“Project Runway”

“So You Think You Can Dance”

“Top Chef”

 

Melhor apresentador de reality show de competição:

Jeff Probst por “Survivor”

Cat Deeley por “So You Think You Can Dance

Phil Keoghan por “The Amazing Race”

Tom Bergeron por “Dancing With The Stars”

Ryan Seacrest por “American Idol”

 

Melhor programa de variedade, musical ou comédia:

“The Daily Show”

“The Colbert Report”

“Conan”

“Late Night with Jimmy Fallon”

“Real Time with Bill Maher”

“Saturday Night Live”

Elenco de Modern Family

Elenco de Mad Men

..:: Switched at Birth ::..- 1ª temporada

Comentário geral  sobre o  1×01 ao 1×10

A sinopse pode até parecer uma trama de novela mexicana mas Switched at Birth foi uma das  boas surpresas desta mid season.

A história das meninas trocadas na maternidade, uma criada por família rica enquanto a outra cresceu num bairro pobre e que ainda por cima teve a infelicidade de perder a audição na infância  fez com que a série conquistasse aqueles que assistiu por causa da simplicidade da narrativa, um drama familiar gostosinho de acompanhar.

Quando as famílias se deparam com essa bomba das trocas, tem de arranjar uma maneira de lidar com isso e de certa ir em busca do “tempo perdido” e de início  surge pequenos conflitos sobre a criação da meninas agora adolescentes, tipo uma mãe acha normal a filha andar de moto enquanto os pais biológicos acham um absurdo  e aí ficam naquela de até que ponto interferir/palpitar no filho que outra pessoa criou, tarefa complicada ainda mais que estão vivendo praticamente na mesma casa.

Particularmente vi mais empenho por parte dos pais ( de criação)  da Bay para se aproximar da Daphne do que por parte da Regina para se aproximar de Bay, talvez pela culpa que carrega por esconder um segredo (segredo este já revelado nesta 1ª parte da temporada) de todos além da resistência em dar mais informações a Bay a respeito do seu pai biológico.

As trocadas Bay e Daphne até que se deram bem mas a boa relação entre as meninas começa a enfrentar dificuldades agora que ambas se apaixonaram por Emmett. Deficiente auditivo também, Emmett é o melhor amigo de Daphne e apesar de sempre  ser apaixonado por ela, nunca se declarou. Ele, que nunca quis saber nenhum tipo de relação com ouvintes fica muito próximo de Bay quando a ajuda a investigar o paradeiro do pai e então começam a namorar, ao mesmo tempo que Bay se dá conta de que o que sente por Emmett é algo mais que amizade.

 

 

 

 

 

 

A série entrou em hiatus e os episódios restantes da 1ª temporada está previsto para ir ao ar em  janeiro  de 2012 e daí saberemos como fica esta situação do triângulo amoroso, a real intenção do pai biológico da Bay que está de volta e acompanhar a relação entre as famílias.

..:: The Lying Game ::..

The Lying Game é outra série do canal ABC Family baseada nos livros de Sara Shepard, mesma autora dos livros em que  Pretty Little Liars é baseada.

Trata-se da história de duas irmãs gêmeas ( Sutton e Emma) que foram criadas separadas e não sabiam da existência uma da outra. Enquanto Emma foi criada num orfanato, Sutton foi adotada por uma família rica. Quando elas se encontram, decidem trocar de lugar por alguns dias porém no dia marcado pra a “destroca” Sutton não aparece. Agora Emma tem que decidir se conta a verdade ou continua no lugar da irmã até descobrir o que aconteceu com ela.

Fotos Promocionais